Busca pela Liberdade! 7

Busca pela Liberdade!
Capítulo 07: A escolha não é mais sua!

No último capítulo: Marina conversa com Lucia, Guilherme e Júnior encontram uma casa, quando chegam perto de entrar na casa, um jovem os ataca, seu nome é Jason, Júnior arruma briga com ele, e no final, Nicolas salva Júnior e Guilherme do perigo, Miku acorda e conversa com Eduarda, Lucia que voltou ao acampamento, acaba vendo uma cena horrível de Marco levando um corpo morto para o mar.

Capítulo não é recomendado para menores de 18 anos. Favor, não comentar coisas desagradáveis no comentário.

 — Marco! O que é isso!? — grita Lucia assustada.

Marco larga o corpo no chão, e vira-se para Lucia.

Marco se aproxima de Lucia.

Lucia fica assustada.

— Não é o que parece ser, eu posso explicar!

Marco bota a mão no ombro de Lucia, para tentar passar confiança para Lucia.

— Então explique, pois não vejo explicação nenhuma no momento.

— O-olha... E-esse c-cara, tentou me matar, eu só fui me defender, se eu não me defende-se, eu iria morrer, tenta entender, Luh! — Marco expressa as palavras meio assustado e com raiva.

— Você jura!?

— J-juro, c-claro, você me conhece, você sabe que seria incapaz de matar alguém só por matar mesmo, matei por minha defesa mesmo, você sabe!

— Ok... Eu confio em você, eu acredito em você, Marco!

Lucia vira de costa e anda de volta para a barraca onde Gustavo está.

Marco puxa uma faca do bolso.

Lucia continua andando para a barraca sem perceber nada.

Marco se aproxima cada vez mais de Lucia.

Marco levanta a faca.

— N-NÃOOO! — grita Gustavo. — Saia, Fletchling, Flame Charge na mão de Marco, agora!

Em questões de segundo Fletchling usa o poderoso Flame Charge, atingindo a mão de Marco, e a faca caindo no chão.

Lucia percebe que Marco quer matá-la, e corre para trás de Gustavo.

— Maldito! Eu irei te matar! — grita Gustavo.

Lucia fica com medo de Gustavo.

Marco fica com medo, afinal, Marco não tem nenhum Pokémon, então Gustavo poderia matá-lo em em segundos.

Lucia abraça Gustavo.

— Por favor, não mate ele, ele não é assim, ele pode mudar, por favor, amore... — grita Lucia, chorando.

Gustavo fica tocado pelo choro de Lucia, e retorna Fletchling para a Pokébola.

— D-desculpa... Lucia, me perdoe, me perdoe, Gustavo, sobre o Artico... Foi eu que matei ele... Ele me tirou do sério... Me perdoe, eu pegarei minha coisas, e sairei do acampamento...

— Acho muito bom, já vai tarde! — diz Gustavo olhando cara a cara com Marco, com certeza, Gustavo está com tamanha raiva de Marco, aponto de querer matá-lo na primeira oportunidade.

— Me perdoe, Gustavo!

— SAIA DAQUI AGORA, ANTES QUE LHE TIRE A FORÇA, SEU MERDA! — grita Gustavo.

Marco vira e vai embora para sua barraca, arrumar suas coisas para ir embora do acampamento.

Gustavo abraça Lucia.

— Que bom que você está bem... Que bom! — diz Gustavo abraçado com Lucia.

— Sim... Estou, obrigado por me salvar! Eu te amo!

— Eu também te amo, amore! — grita Gustavo.

Gustavo abraça Lucia fortemente, para expressar seu amor tão grande quanto esse mundo.

Lucia sorri para Gustavo.

— O amor é realmente lindo — Junior expressa sua palavras num tom de ironia.

— Que tal atormentar o Matheus? — Gustavo vira-se e olha para Junior.

— Matheus tá dormindo, Marco está ocupado, Wallacen e Alice não voltaram, nem meu irmão e Guilherme, e nem Artico, é, só sobraram vocês mesmo!

Lucia sorri.

— Se não sair agora, eu vou lhe da um soco! — grita Lucia num tom de felicidade.

Junior sorri.

Gustavo da risadas.

— Tô indo nessa, tchau, casal chato! — diz Junior.

— Ei, tá na hora de acordar!

Alice acorda, e assustada olhando para Emerson.

— Emerson! Me tira daqui!

— Não.

Alice fica com muita raiva, deve ser pelo simples fato de ela está presa em correntes de ferro, e nua, e Emerson debochando de sua cara.

— Me tira daqui, onde estamos!?

— Estamos numa pequena casa abandonada debaixo do subsolo.

Emerson se aproxima de Alice.

— Saia, Sceptile!

Da Pokébola de Emerson, sai o poderoso e frio Sceptile.

— Ela tem um belo corpo, né? Sceptile.

Sceptile sorri afirmando que sim.

— Que tal fazer um lindo corte nela? Leaf Blade e faça um corte no rosto dela!

Rapidamente Sceptile usa o poderoso Leaf Blade, e faz um belo corte no meio do rosto de Alice.

Alice grita.

O rosto de Alice começa a sangrar.

Emerson dar risadas friamente.

— SEU FILHO DA PUTA! VOCÊ IRÁ ME PAGAR CARO! — grita Alice com muita raiva e ódio de Emerson.

— Que grosseira, isso não é jeito de tratar alguém tão superior a você, sua vadia!

Emerson da dois tapas na cara de Alice.

Alice grita.

— SCEPTILE, VAMOS ACABAR COM A MARRA DESSA GAROTA, FAÇA VÁRIOS CORTES NO CORPO DELA COM O LEAF BLADE!!! — grita Emerson num tom de raiva.

Sceptile faz vários cortes em Alice com o poderoso Leaf Blade.

Em questões de instantes, o poderoso e ágil Sceptile, faz vários corte em Alice, sem hesitar.

Alice grita e chora ao mesmo tempo.

Emerson se diverte com isso.

Sceptile sorri friamente para Alice.

— Ótimo trabalho, Sceptile! Agora volte!

Sceptile retorna para sua Pokébola.

— Se divertiu, Alice!?

Sem hesitar, Alice cospe no meio da cara de Emerson.

Emerson fica furioso.

— Sua vadia!

Emerson da um soco no meio da cara de Alice.

Alice xinga Emerson de todos os nomes possíveis, a fim de humilhar ele, porém, de nenhum jeito consegue.

— Já que o castigo não acabou com a sua brutalidade e arrogância, terei que fazer isso, será bastante divertido, espero que me dê bastante prazer, ouviu?

Alice olha assustada para Emerson.

Emerson tira a camisa.

Alice grita.

Emerson tira a roupa.

— Não! Por favor, me perdoe, me desculpe! Eu faço tudo o que você quiser — grita Alice.

— Mas agora que iremos fazer tudo que eu quero! — Emerson expressa a palavra friamente.

Emerson fica completamente nu.

— Não! Por favor! Eu imploro, não faça isso!

Emerson beija Alice na boca.

Alice aceita o beijo de Emersom, pois sabe que se fazer algo, ela estará morta.

Os dois ficam se beijando por bastante tempo.

— Agora iremos para a outra parte! — Emerson olha o corpo por completo de Alice.

— Por favor, não! — grita Alice.

Emerson se aproxima de Alice até ficar encostado nela.

Emerson beija Alice, ao mesmo tempo acariciando o corpo de Alice.

Alice grita de prazer.

Emerson encosta seu membro na parte intima de Alice, fazendo ela gritar de prazer.

Alice grita de prazer, porém com raiva.

— Teremos uma diversão agora — diz Emerson num tom frio e irônico.

Continua no próximo capítulo!

Observação: O capítulo é um pouco adulto, ler quem quiser, pro isso escrevi no começo do capítulo '''Capítulo não é recomendado para menores de 18 anos.'' para ninguém depois vim nos comentários falar que não deveria ter feito o capítulo e etc, fiz esse capítulo para quem quiser ler, e não para ter gente postado coisas desagradáveis e etc no comentário, espero quem for pensar em comentar não bote '''ficou horrível'' e outros comentários desagradáveis, espero que quem for comentar coisas desagradáveis tenham maturidade suficiente para entender.

Repetindo: não comentar coisas desagradáveis.

Obrigado pela atenção! E boa madrugada!

Um comentário:

  1. o cara comenta e depois entra como anonimo pra concordar com o próprio comentario...

    ResponderExcluir