Busca pela Liberdade! 8

Busca pela Liberdade!
Capítulo 08: Doce vingança: parte 1.

No último capítulo: Lucia descobriu o que Marco estava fazendo, então, Marco revolveu dar um fim em Lucia, só que Gustavo salvou Lucia no exato momento, e Marco teve que ir embora do acampamento, Emerson prende Alice, e usa Sceptile para fazer vários corte pelo corpo inteiro dela, e depois, para completar, ele abusa dela a força. Não perca o capítulo 08!

Não recomendado para menores de 16 anos.

— Foi prazeroso, até que você não é tão mal não, Alice.

Começa a cair lágrimas do rosto de Alice.

Emerson se veste.

Emerson pega as roupas de Alice.

— Tá vendo suas roupas?

Alice olha para as roupas que estão nas mãos de Emerson.

Emerson rasga o vestido de Alice, deixando-a sem roupa nenhuma para usar.

Alice chora.

— Foi divertido, tchau!

Emerson da um tapa na cara de Alice, e depois sobe as escadas para ir embora.

Emerson vai embora.

Alice cai no choro.

Um barulho se ouve.

Alice olha para as escadas.

Então rapidamente alguém começa a descer as escadas.

— Vejo que Emerson acabou contigo — então a voz que se ouve é bastante familiar, é do Mascarado.

Alice olha para Mascarado.

— Desculpe, esqueci de me apresentar, eu me chamo Mascarado, você  deve ser a Alice, certo?

Alice continua olhando para o Mascarado chorando.

Mascarado chega perto de Alice.

— Você irá me matar? Me mate logo, minha vida acabou! — grita Alice, chorando.

Mascarado puxa um pano do bolso.

Mascarado seca as lágrimas no rosto de Alice.

— Olha, ele abusou de você a força, fez cortes em todos os seu corpo, e lhe bateu e xingou, eu vi tudo, ele merece um castigo, você quer vingança né!? — Mascarado olha para Alice.

Alice fica calada.

— Aqui, vou deixar esse vestido aqui, e essa Pokébola, aqui está o Pokémon que vai te ajudar a partir de hoje! E também uma pistola já carregada com 3 tiros, e 2 caixas de 6 munições cada, se cuide!

Mascarado deixa um vestido azul claro novinho em cima da mesa.

Mascarado solta as correntes que estavam prendendo Alice.

— Estou lhe ajudando, só quero um favor.

— Qual seria?

— Mais tarde você irá saber, enfim, aí está seu vestido, e sua Pokébola com o seu novo Pokémon, boa sorte na sua vingança...

Mascarado vira de costa, e sobe as escadas.

Alice se veste.

Alice olha para a Pokébola que ganhou.

— Saia Pokémon!

Alice joga a Pokébola, e de dentro da Pokébola sai um poderoso Absol, um Pokémon com a aura sombria, e totalmente frio, um par perfeito para alguém frio e calculista.

— Ei! Não querendo pedir demais, só peço que me ajude a me vingar de uma pessoa, você me ajuda?

Absol mexe a cabeça fazendo que sim.

Alice sorri para Absol.

— Luh, só vim me despedir! Obrigado por tudo... E me perdoe, de coração...! — Marco olha nos olhos de Lucia.

— Claro, eu sei que você pode mudar... Porém, Gustavo não quer mais você aqui depois do que você fez...

— Eu sei disso, por isso estou indo embora, e ele tem razão! Muito obrigado por tudo.

Marco vira de costa, e começa a andar para dentro da Floresta.

Lucia fica olhando Marco entrar na Floresta, Lucia por dentro está arrasada, porém, é o certo a se fazer.
Marco continua a caminhar sozinho pela Floresta, sem ao menos pensar a onde ir, apenas procurando um rumo para ele, afinal, o pessoal do grupo era a família dele, porém ele jogou tudo isso fora.

Barulhos se ouvem.

Marco corre para a árvore mais próxima, e se esconde atrás dela.

 — Meu querido amigo Marco, eu já te vi, não adianta correr.

Marco reconhece a voz, sim, a voz de Alice.

— Absol! Use o Double Team, depois Iron Tail em todas as árvores mais próximas de você! — ordena Alice.

Absol se multiplica em vários de si.

Em instantes Absol e suas cópias derrubam todas as árvores com o poderoso Iron Tail.

A árvore onde Marco estava escondido cai, e Alice consegue vê-lo perfeitamente.

— Se lembra do tapa na cara que você me deu?

— Desculpe... Não me lembro... Não me lembro do que eu faço geralmente... Porém, desculpe! — Marco olha para Alice pedindo desculpas, ele tenta mudar de assunto para tentar escapar, porém, ele sabe perfeitamente que Alice vai querer vingança pelo tapa que levou de Marco.

— Então, vim me vingar, não aceito mais desculpas sua e de mais ninguém! — grita Alice.

Marco começa a correr.

— Absol, pegue ele agora! — grita Alice.

Marco corre o mais rápido que pode.

Absol alcança Marco.

Absol derruba Marco no chão.

Alice se aproxima de Marco.

— Quer saber! Não me importo de viver, vai pro inferno, sua vadia!

Em segundos, Alice puxa a arma da cintura.

Alice acerta 3 tiros na cabeça de Marco sem hesitar.

Alice se abaixa.

Alice tenta sentir a batida do coração de Marco, para ver se está vivo ainda.

— Morreu! Idiota! Idiota! Idiota! Isso é o mínimo por ter batido na minha cara! — grita Alice.

Alice pisa no corpo de Marco.

Alice dar risadas.

— Absol, termine o trabalho para mim! Cave um buraco, e joga esse inútil nele! — ordena Alice.

Absol sorri.

Alice sorri.

— Bem... Um já foi! Só falta mais 2!

Alice dar risadas.

Continua no próximo capítulo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário